Tags

,

Toda a estória se quer fingir verdade.

A primeira vez que um livro de Mia Couto me caiu nas mãos foi em 2010. Um exemplar português de Jesusalém – no Brasil, publicado pela Companhia das Letras com novo título, Antes de nascer o mundo. Desde então, tento acompanhar as produções do escritor moçambicano, mestre em (re)inventar uma linguagem que tão somente suas narrativas são capazes – quando não merecedoras – de comportar.

Estórias abensonhadas chegou, no começo de março, às livrarias brasileiras. O livro reúne contos que, como explica o autor, foram escritos após a guerra (“Por incontáveis anos as armas tinham vertido luto no chão de Moçambique. Estes textos me surgiram entre as margens da mágoa e da esperança”).

A leitura, incontestavelmente, é um deleite que desejo aos bons. Há, em suas histórias, a simplicidade dos fatos, se harmonizando com sua escrita que, muito exata, parece espontânea, como que produzida sem grandes esforços. Perdura, ainda, toda uma aura onírica, que desemboca, via de regra, no fantástico (valho-me, aqui, do sentido mais genérico da palavra, acoplando o realismo maravilhoso, o mágico e as incontáveis vertentes que a teoria insiste em instaurar).

Seus personagens recebem, a começar pelo nome (Felizbento, Novidade Castigo, Tristereza, Jorojão), requintes de grandeza. Cada um deles tem sua importância para a narrativa; o reconhecimento que lhes é concedido, por sua vez, só torna maior a obra de Mia Couto. Nada sobra.

De maneira involuntária, lembrei-me de Guimarães Rosa – neologismos, arcaísmos, a presença da imagem do “rio”? Com receio de tecer a comparação e, à procura de argumentos mais sólidos para sustentá-la, decidi pesquisar se alguém já havia sinalizado semelhanças entre os dois. Um tanto aliviado por me deparar com diversas ocorrências, indico aqui dois trabalhos que encontrei. O “mundo misturado” de Guimarães Rosa e Mia Couto, de Via Lima Martin e a tese de doutorado de Silvania Núbia Chagas, Nas fronteiras da memória: Guimarães Rosa e Mia Couto, olhares que se cruzam.

Estórias abensonhadas – Companhia das Letras

Editora: Companhia das Letras

Páginas: 155

____________

PROMOÇÃO:

Quer ganhar um exemplar de Estórias abensonhadas? Você tem até o dia 02/04/2012 para participar. O sorteio será realizado no dia 03/04/2012, mesma data da divulgação do resultado.

1. Curta a página da Companhia das Letras no Facebook
2. Cuta a página da Revista Macondo no Facebook
3. Deixe qualquer comentário na imagem que colocamos aqui.

Atualizado em 03/04/12

PROMOÇÃO ENCERRADA: O contemplado foi Willian Righini de Souza (por favor, envie seu endereço completo para blogdamacondo@gmail.com)! Obrigado a todos que participaram e até a próxima!

Anúncios