Tags

Quem é: 

 

Manuel Bandeira

Manuel (Carneiro de Souza) Bandeira (Filho), 1886, Recife/PE. Morreu aos 82 anos (em 1968), no Rio de Janeiro/RJ. Dono de um estilo próprio de poesia – direto, simples, sóbrio – é, até hoje, um dos mais importantes poetas da história da literatura nacional. Fez parte da “geração de 22” da literatura moderna brasileira, embora não tenha participado, presencialmente, da semana de Arte Moderna daquele ano. Foi, ali, representado pela leitura de “Os sapos”. Encontram-se, dentre seus livros mais conhecidos, “Libertinagem” e as Estrelas “da manhã”, “da tarde” e da “vida inteira”. Poesias como “Vou-me embora pra Pasárgada” e “Poética” entoam cantos celebrados nos quatro cantos da literatura. Em sua obra, encontramos um quê de angústia e melancolia, algo de nostalgia e saudosismo, alguma tristeza e desesperança, mas muito de qualidade e originalidade. Foi o terceiro a ocupar a cadeira 24 da Academia Brasileira de Letras, em 1940.

 

-=-=-

Poemas

Andorinha

Andorinha lá fora está dizendo:
— “Passei o dia à toa, à toa!”

Andorinha, andorinha, minha cantiga é mais triste!
Passei a vida à toa, à toa…

Desencanto

Eu faço versos como quem chora
De desalento… de desencanto…
Fecha o meu livro, se por agora
Não tens motivo nenhum de pranto.

Meu verso é sangue. Volúpia ardente…
Tristeza esparsa… remorso vão…
Dói-me nas veias. Amargo e quente,
Cai, gota a gota, do coração.

E nestes versos de angústia rouca
Assim dos lábios a vida corre,
Deixando um acre sabor na boca.

– Eu faço versos como quem morre.

Poema do beco

Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a linha do horizonte?
— O que eu vejo é o beco

O último poema

Assim eu quereria o meu último poema.
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.

 

-=-=-=-

(Deixe também, nos comentários, sua poesia ou excerto preferidos do autor)

Anúncios